Famílias desalojadas vão receber auxílio-moradia

Especialistas fazem análises na cratera para apontar possíveis causas do acidente; desmoronamento pode estar relacionado ao túnel rodoviário de cinco quilômetros que a concessionária construía

Por Eduardo Valente

08/11/2017 às 18h47

Reprodução/WhatsApp

A Concer, responsável pela rodovia BR-040 no trecho Rio-Juiz de Fora, formalizou nesta quarta-feira (8) o auxílio-moradia de R$ 1 mil mensais para as famílias cadastradas que tiveram casas atingidas ou interditadas após o desmoronamento do solo às margens da pista de descida da estrada, na Serra de Petrópolis. A concessionária também informou que “vai apoiar a transferência dos alunos da Escola Municipal Leonardo Boff para um novo local a ser definido pela direção da unidade de ensino e assegurar o fornecimento de alimentação aos mais de 70 alunos matriculados”.

O acidente ocorreu na manhã de terça-feira (7), formando uma cratera de aproximadamente 70 metros de profundidade. Uma das hipóteses levantadas é que a erosão esteja relacionada às obras do túnel de aproximadamente cinco quilômetros que a concessionária construía, como parte das obras da Nova Subida da Serra (NSS), paralisadas desde junho de 2016. Ao todo, 46 famílias foram desalojadas, totalizando 129 pessoas. Ninguém se feriu, pois foi possível evacuar toda a área antes da abertura da cratera. A Concer e a Prefeitura de Petrópolis informaram que estão disponibilizando cestas básicas e kits de higiene pessoal aos atingidos.

Na manhã de terça, equipes da Companhia de Pesquisas de Recursos Minerais, do Ministério de Minas e Energia, além de técnicos do Serviço Geológico do Brasil e do Serviço Geológico do Estado do Rio de Janeiro, estiveram no km 81 da estrada para avaliar os danos e, posteriormente, emitir um laudo das possíveis causas do acidente. Os trabalhos foram solicitados pela Prefeitura de Petrópolis, que também acionou os ministérios da Integração Nacional e dos Transportes e a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) para que sejam adotadas as medidas necessárias para garantir a segurança daquela região. Ao mesmo tempo, a Concer promove investigações técnicas na área, com conclusão prevista para aproximadamente cinco dias. Somente após este prazo será possível determinar se a pista de descida, naquele trecho, vai permanecer fechada.

O conteúdo continua após o anúncio

Paralela a estas ações, o deputado federal Hugo Leal (PSB), que é de Petrópolis e acompanha os imbróglios que envolvem a concessão rodoviária, registrou representação ao Ministério Público Federal cobrando providências para a identificação das responsabilidades, inclusive criminal, que culminaram no acidente. Entre as denúncias registradas pelo parlamentar, está uma Ação Civil Pública do MPF, já em tramitação, em que, segundo ele, “foram identificadas importantes inconsistências no projeto executivo para a construção da Nova Subida da Serra e a ausência de realização de auditoria de segurança viária nas referidas obras”. Ele também cita no documento registrado que, “segundo informações obtidas no local, o túnel da Concer está cheio d’água”, o que estaria impedindo o acesso ao local exato do deslizamento de terra.

Estrada interditada

O trecho do km 81, na altura de Petrópolis, permanece interditado para o tráfego de veículos que seguem em direção ao Rio de Janeiro. Veículos leves e ônibus fazem desvio por dentro do município, enquanto que caminhões e carretas estão sendo orientados a seguir viagem pela BR-383, a partir de Três Rios (RJ), em direção à BR-116, que é outra via de acesso à capital fluminense. Para quem viaja de ônibus de Juiz de Fora ao Rio, a estimativa da viagem é de aproximadamente quatro horas.

Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia