Em 7º, JF apresenta queda relativa no ranking estadual de atividade econômica

Líder na Zona da Mata, cidade está atrás de duas economias da mesorregião metropolitana de Belo Horizonte e quatro do Triângulo Mineiro/Alto Paranaíba

Por Tribuna

14/11/2017 às 16h57

Juiz de Fora é o sétimo município do estado com maior atividade econômica. Em julho, a cidade apresentou queda de uma posição ante o mês anterior, retornando à posição anterior a março deste ano. No ranking, a cidade, líder na Zona da Mata, está atrás de duas economias da mesorregião metropolitana de Belo Horizonte (Belo Horizonte e Betim) e quatro do Triângulo Mineiro/Alto Paranaíba (Uberlândia, Uberaba, Araxá e Araguari). Este é o resultado do Indicador de Atividade Econômica Municipal (IAEM), mensurado pela Conjuntura e Mercados Consultoria (CMC), projeto de extensão vinculado à UFJF.

Ainda segundo a pesquisa, Juiz de Fora apresentou ganhos relativos relacionados a atividade bancária (IAB). Com relação aos demais indicadores, como saldo de empregos (IME), abertura externa (IAE) e arrecadação (IAM) constatou-se perda relativa. Considerando o Índice de Movimentação Bancária (IMB), destaca-se o aumento dos depósitos bancários (40,45%) como principal propulsor para o bom desempenho. Já em relação ao Índice de Movimentação de Emprego (IME), a perda relativa nos saldos de contratações nos setores de manufatura (15 demissões) e de serviços (228 demissões) é o que explica a movimentação. Sobre a abertura externa do município, foi identificada perda relativa devido à redução das importações de produtos minerais (-35,29%).

Segundo a equipe da Conjuntura e Mercados Consultoria, a perda de atividade observada no Índice de Arrecadação Municipal (IAM) é atribuída, em sua maioria, à redução da arrecadação de ICMS observada no setor agrícola (-10,88%). Diante destes resultados, as previsões do IAEM para o município em julho de 2018 apontam aumentos de 22,34% nas operações bancárias por recebimento e de 28,02% na arrecadação de ICMS, provenientes do setor manufatureiro. Para as importações de produtos minerais, é esperada uma redução de 3,18%. Já no saldo de empregos no setor minerador, a probabilidade é de que não haja alteração.

O conteúdo continua após o anúncio

O maior nível de atividade econômica em Minas Gerais se dá em 43 dos 853 municípios do estado, com concentração superior nas mesorregiões Metropolitana de Belo Horizonte, no Triângulo Mineiro e no Sul/Sudoeste de Minas. Enquanto isso, as economias com menor nível de atividade em julho de 2017 foram Zona da Mata, Vale do Rio Doce e Norte de Minas.

Criado em 2016, o IAEM é responsável por monitorar mensalmente a evolução da economia em todos os 853 municípios mineiros, a partir de aspectos relativos a mercado de trabalho, comércio exterior, renda e crédito (movimentação bancária) e arrecadação de impostos.

Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia