Mercado Municipal não quer retirada de feira noturna

Boato começou a circular nas últimas semanas e preocupou os feirantes

Por Gracielle Nocelli

13/09/2017 às 12:56hs - Atualizada 13/09/2017 às 20:42hs

Foto: Felipe Couri

 

Os lojistas do Mercado Municipal, no Centro, negaram a informação de que estariam articulando o fim da feira livre noturna realizada na Praça Antônio Carlos, ao lado do estabelecimento. Nesta quarta-feira (13), eles irão conversar com os responsáveis pela coordenação da feira para esclarecer a situação. A informação falsa começou a circular nas últimas semanas e preocupou os feirantes, que se mobilizaram em um manifesto popular com a coleta de assinaturas para a manutenção da atividade no local. A primeira feira noturna de Juiz de Fora foi criada em maio deste ano e é responsável por atrair cerca de 6 mil pessoas a cada semana, segundo a Secretaria de Agropecuária e Abastecimento (SAA).

Em nota oficial, a direção do Mercado Municipal declarou que “a informação divulgada sobre uma suposta movimentação dos comerciantes a fim de retirar a Feira da Noite é falsa. Em 30 anos de história, o Mercado Municipal nunca se posicionou contra outros trabalhadores, independente do setor, pois acreditamos que Juiz de Fora oferece oportunidade e espaço para todos. Aos amigos, clientes e trabalhadores da Feira da Noite, todo nosso respeito!”. Representante da Associação de Concessionários e Permissionários do Mercado Municipal (ACPM), o comerciante Carlyle Francisco Lopes disse que ficou aborrecido com o boato. “Nós nunca faríamos uma coisa dessas. Vamos à feira para esclarecer que se trata de uma mentira, mas gostaríamos de saber de onde surgiu, pois é algo sério, que prejudica a nossa imagem.”

O conteúdo continua após o anúncio

Responsável por organizar a coleta de assinaturas, o feirante Rômulo de Abreu disse que o manifesto popular foi uma forma de se precaver. “Imagino que a feira possa ter criado algum tipo de insatisfação para os comerciantes, e daí surgiram os comentários. Nós nunca fomos notificados oficialmente, mas decidimos nos antecipar realizando a coleta de assinaturas. Recebemos com alívio a informação de que não haverá mobilização para a retirada da feira.” Ele destaca que a atividade é realizada uma vez por semana em horário diferente do funcionamento das lojas do Mercado Municipal. “Além da questão comercial, temos o lado social. A feira noturna trouxe uma ressocialização da Praça Antônio Carlos.”

Fomento
A assessoria da SAA informou que, antes de criar uma feira livre é feito estudo de viabilidade para verificar os impactos da realização da atividade, e “entende que o Mercado Municipal e a feira livre noturna possuem públicos diferentes.” A SAA esclareceu que não há interesse em acabar com a feira noturna. “Pelo contrário, nós temos fomentado cada vez mais a atividade. Na sexta-feira (15), iremos lançar uma nova feira.” A edição acontecerá às sextas-feiras, das 9h às 14h, no Parque Halfeld. Intitulada “É Daqui”, terá a participação de 20 feirantes que irão vender produtos orgânicos, veganos e que não contenham glúten, lácteos, açúcar e ovo na composição. A iniciativa é uma parceria com a Associação de Inclusão Alimentar e Bem-Estar da Zona da Mata Mineira (Bem-Te-Vida).

Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia