Auditores fiscais não descartam greve

Categoria irá manter 50 % da carga de trabalho

Por Tribuna

10/10/2017 às 15h59

Os auditores fiscais da Receita Federal irão manter a operação Meta Vermelha em Juiz de Fora. A decisão foi tomada após assembleias realizadas na segunda (9) e terça-feira (10). A operação estabelece que os trabalhadores executem apenas 50% da carga de trabalho. Ela está em vigor desde a última quinta-feira (5) em adesão ao movimento nacional da categoria. A mobilização se dá em protesto contra o descumprimento, por parte do Governo Federal, do que foi acordado com os trabalhadores em campanha salarial.

De acordo com o Sindicato de Auditores Fiscais da Receita Federal, a cidade reúne cerca de cem trabalhadores. “A votação nas assembleias foi favorável à adesão ao movimento nacional e, caso não tenhamos retorno do Ministério do Planejamento dentro do cronograma que eles nos passaram, podemos entrar em greve”, afirma a vice-presidente do sindicato, Dalila Mara de Oliveira Ferreira. Segundo ela, o prazo para atendimento à pauta dos trabalhadores seria até 1º de novembro.

O conteúdo continua após o anúncio

As reivindicações dos auditores são para que o Governo cumpra a tabela de progressão e a gratificação de eficiência estabelecidas anteriormente. “Já existem os dispositivos legais desse acordo, mas não sabemos os motivos de eles estarem parados no Ministério do Planejamento.” No ano passado, o Governo reajustou o salário dos auditores e criou uma bonificação por cumprimento de meta, mas os textos ainda não foram regulamentados. Por conta disso, nos portos e aeroportos do país estão sendo realizadas a Operação Padrão, que prevê a liberação apenas de cargas consideradas essenciais como remédios, insumos hospitalares, dentre outros. A possibilidade de greve existe caso o Ministério não cumpra o prazo.

Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia