Mercedes investe R$ 2,4 bi, e JF será contemplada

Unidade local, que fabricava os caminhões Actros e Accelo, continua, por enquanto, com a produção apenas do primeiro

Por Fabíola Costa

09/10/2017 às 16h59

A unidade da Mercedes Benz em Juiz de Fora será contemplada com parte dos R$ 2,4 bilhões em investimentos anunciados pela montadora para os próximos cinco anos, entre 2018 e 2022. Segundo a empresa, o aporte será destinado à continuidade da modernização das fábricas de caminhões e chassis de ônibus no país – incluindo a sediada na cidade – e à melhoria contínua dos veículos comerciais da marca. Nesse montante, está previsto também o desenvolvimento de novos produtos e de tecnologias em serviços e conectividade. A montadora não informou quanto desse total será aplicado na unidade mineira, nem de que forma.

Conforme a Mercedes, a modernização das fábricas de São Bernardo do Campo, localizada em São Paulo, e Juiz de Fora segue o conceito de indústria 4.0 e tem por objetivo tornar as plantas brasileiras ainda mais competitivas. A meta é torná-las referência em todo o mundo. “Este novo aporte tem como principal objetivo preparar a empresa para atender às demandas futuras dos clientes, garantindo rentabilidade aos seus negócios, seja por meio de produtos atualizados à realidade do transporte, de fábricas totalmente modernizadas e mais competitivas, como também através de novas tecnologias de serviços e de conectividade de última geração”, explicou o presidente da Mercedes-Benz do Brasil e CEO América Latina, Philipp Schiemer.

O executivo destacou que, atualmente, está sendo aplicado investimento de R$ 730 milhões até 2018 com foco na modernização das duas plantas, sendo R$ 500 milhões em São Bernardo do Campo e R$ 230 em Juiz de Fora. “Antes de concluir esse ciclo atual, a Mercedes-Benz se antecipa e já anuncia esse novo aporte, como forma de acompanhar as tendências do transporte e as solicitações dos clientes nos próximos anos.” O investimento na planta local é destinado à centralização da pintura e da produção de cabinas de todos os veículos comerciais da montadora, processo que, segundo a empresa, está em curso. Para isso, foi necessário duplicar e ampliar as instalações da linha de montagem bruta. Com a medida, a montadora pretende “aumentar a competitividade, a flexibilidade e a sinergia” entre as fábricas mineira e paulista e utilizá-las de “forma mais eficiente”. A unidade juiz-forana, que fabricava os caminhões Actros e Accelo, continua, por enquanto, com a produção apenas do primeiro. A previsão de 2018 para transferência do extrapesado para São Bernardo do Campo não foi confirmada.

Schiemer anunciou, ainda, R$ 70 milhões adicionais direcionados à construção do campo de provas de caminhões e ônibus na cidade de Iracemápolis (SP), que será inaugurado no 1º semestre de 2018. O espaço promete ser o maior e mais completo do Hemisfério Sul. “Com esses novos investimentos, a empresa se prepara para a esperada recuperação do mercado brasileiro que, apesar de ainda lenta e dos baixos volumes de vendas, tem forte potencial futuro para os negócios de veículos comerciais. Acreditamos também na evolução do mercado externo, que tem realizado renovação e ampliação de frota com produtos Mercedes-Benz fabricados no Brasil.”

 

O conteúdo continua após o anúncio

Liderança

Com 9.343 caminhões emplacados de janeiro a setembro, a Mercedes-Benz lidera as vendas de caminhões, atingindo participação de 28,4% no mercado brasileiro. No segmento de ônibus, a marca também lidera as vendas com 4.290 unidades comercializadas e uma participação acima de 50%. Nas exportações, o desempenho da marca no acumulado de janeiro a setembro de 2017 avançou 26% sobre o mesmo período do ano passado, com 11.157 caminhões e ônibus exportados. Segundo a montadora, foram enviados 6.428 caminhões, com crescimento de 43% em relação a 2016, e 4.729 chassis de ônibus, 8,5% ante o ano anterior.

 

 

Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia