Contas de telefone ficam mais caras

Enquanto parte dos consumidores tem sido avisada pelas operadoras sobre o reajuste dos planos de telefonia fixa e móvel, uma boa parcela segue em dúvida sobre a cobrança. Com a determinação do Supremo Tribunal Federal (STF) de que as empresas devem recolher o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre o valor da […]

Por Guilherme Arêas

09/01/2017 às 16:33hs - Atualizada 09/01/2017 às 18:54hs

Operadoras têm avisado sobre o reajuste dos planos de telefonia fixa e móvel.
Operadoras têm avisado sobre o reajuste dos planos de telefonia fixa e móvel.

Enquanto parte dos consumidores tem sido avisada pelas operadoras sobre o reajuste dos planos de telefonia fixa e móvel, uma boa parcela segue em dúvida sobre a cobrança. Com a determinação do Supremo Tribunal Federal (STF) de que as empresas devem recolher o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre o valor da assinatura básica mensal, as contas ficarão mais caras. Em Minas Gerais, o percentual do tributo sobre os serviços de comunicação é de 27%, conforme a Secretaria Estadual de Fazenda. O reajuste, no entanto, varia de acordo com o pacote assinado pelo cliente.

Uma cliente da Vivo, que preferiu não se identificar, recebeu um SMS com a informação da operadora de que a assinatura passaria de R$ 39,90 para R$ 44, 90 este mês, encarecimento de 12,5%. O texto esclarecia que a mudança era em função da decisão do STF. “Ainda não recebi a conta para conferir os valores”, observa. Procurada pela Tribuna, a assessoria da empresa confirmou que, “desde novembro, avisa por meio de comunicado público, SMS e mensagem nas faturas aos clientes impactados” e orienta que “eles podem consultar detalhes sobre as alterações no site www.vivo.com.br“.

Assinante de um plano da Tim, a jornalista Nathani Paiva, 27, verificou aumento de 7,7% na conta, mas não foi informada sobre o motivo do reajuste. “Não sei se está ligado à cobrança de ICMS. Vou procurar a operadora para saber do que se trata.” Já a assistente administrativa Larissa Torres, 24, cliente da Oi, se mostrou surpresa com a possibilidade de encarecimento. “Não estava sabendo desta mudança.” A Oi declarou, em nota, que a cobrança acontecerá nas contas de fevereiro, já a Tim não quis se pronunciar sobre o reajuste.

Apenas os assinantes da Claro não sofrerão impactos com a decisão do STF. A operadora esclareceu que “já recolhe integralmente o ICMS sobre todos os serviços de telecomunicações comercializados para os seus clientes onde atua. Portanto, os planos ou pacotes não sofrerão nenhuma alteração nos preços.”

 

O conteúdo continua após o anúncio

Repasse

O Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia (SindiTelebrasil) destacou, em nota, que o valor recolhido com ICMS será repassado integralmente aos cofres públicos. “Cada prestadora está seguindo uma agenda adequada para informar aos clientes. Só no ano passado, foram recolhidos aos cofres estaduais R$ 34 bilhões de ICMS sobre serviços de telecomunicações. A carga tributária do Brasil é uma das mais elevadas do mundo e representa cerca de 50% da conta dos serviços.”

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) destacou que o reajuste não se trata de aumento de tarifa ou preço dos serviços. “A Anatel homologa o reajuste das tarifas dos planos básicos das concessionárias da telefonia fixa uma vez por ano. Os últimos reajustes foram realizados em setembro. As tarifas são sempre homologadas sem impostos.”

 

Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia