‘A morte te dá parabéns’ estreia nos cinemas de Juiz de Fora

Jovem que revive infinitamente o dia do seu assassinato é a protagonista de ‘A morte te dá parabéns’

Por Júlio Black

12/10/2017 às 06h30 - Atualizada 12/10/2017 às 10h39

Mocinha indefesa contra um assassino mascarado? Parece “Pânico”, mas não é (Foto: Divulgação)

“A morte te dá parabéns”, que estreia nesta quinta-feira no Brasil, é resultado daquelas fórmulas que os estúdios de Hollywood têm guardada em seus armários, bastando apenas misturar uma coisinha aqui, outra ali, para dar aquele ar de “novidade” ao produto. Quem já não assistiu, por exemplo, a filmes sobre personagens que trocam de corpos, que reencarnam em outras pessoas ou bichos para acertar contas pendentes, casas mal-assombradas, duplas de policiais que não combinam, maníacos assassinos mascarados, entre tantos outros?

Pois o longa de terror dirigido por Christopher Landon (da franquia “Atividade paranormal”) tira suas referências dos filmes da série “Pânico” mas, principalmente, da comédia romântica “Feitiço do tempo”. Talvez os mais novos não conheçam, mas o clássico de 1993 do saudoso Harold Ramis trazia Bill Murray como o repórter mesquinho que é obrigado a cobrir o Dia da Marmota em uma cidadezinha da Pensilvânia. Como “prêmio”, ele é forçado a reviver esses dias de forma infinita e por fim aproveita a oportunidade para se tornar uma pessoa melhor. E conquistar a personagem de Andie MacDowell.

A premissa já foi utilizada em outras tramas, caso de “No limite do amanhã”, com o looping temporal fazendo o personagem de Tom Cruise viver o mesmo dia de batalha. “A morte te dá parabéns”, por sua vez, pode ser considerado um “Feitiço do tempo sanguinário”. A personagem principal é a jovem Tree Gelbman (Jessica Rothe), que acorda no dia de seu aniversário no dormitório de um universitário com quem passou a noite após uma farra daquelas. O dia corre normalmente, ela volta a cair na gandaia para comemorar sua nova idade, só que a noite termina com a jovem sendo assassinada por um sujeito que utiliza uma máscara com rosto de bebê, mas daquelas que dão susto.

E então ela acordo de novo, no dia de seu aniversário, mais uma vez no quarto do universitário. E de novo. E de novo. E de novo. E sempre com a lembrança de que vai ser assassinada no final da noite. Ela tenta, obviamente, evitar os planos do assassino, mas a cada dia a jovem é assassinada outra vez, e sempre de formas diferentes e criativas. Tree percebe, então, que ela não pode simplesmente tentar fugir do assassino: é preciso descobrir a sua identidade e antecipar os planos do criminoso para tentar chegar viva ao final de seu aniversário, e quem sabe assim acordar para um novo dia.

O conteúdo continua após o anúncio

A MORTE TE DÁ PARABÉNS
UCI 2 (leg): 20h20, 22h30. UCI 4 (dub): 13h30 (seg a qua), 15h40 (todos os dias). Cinemais Alameda 1 (dub): 15h10, 19h30. Cinemais Alameda 1 (leg): 17h20, 21h40. Cinemais Jardim Norte 1 (dub): 15h10, 17h20, 21h40. Cinemais Jardim Norte 1 (leg): 19h30. Santa Cruz 1 (dub): 16h50, 19h, 21h10.

Mocinha indefesa contra um assassino mascarado? Parece “Pânico”, mas não é

Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia