Tópicos em alta: delivery jf / coronavírus / lockdown / vacina / polícia / obituário

Polícia Civil irá apurar se morte de militar do Exército foi acidental

Subtenente Diógenes Alves Teixeira Damasceno estava em casa acompanhado da esposa quando sua arma disparou


Por Tribuna

18/08/2017 às 17h29

Um militar do Exército, 48 anos, morreu após a arma que ele próprio manuseava, uma pistola calibre ponto 45, disparar. O subtenente Diógenes Alves Teixeira Damasceno, lotado na 12ª Circunscrição de Serviço Militar  (12º CSM ), estava em sua casa, no Bairro Nova Era, acompanhado da esposa no momento do acidente, registrado nesta quinta-feira (18), por volta das 7h30. Segundo informações que estão no Boletim de Ocorrências, o casal estava no quarto e, em determinado momento, a mulher se assustou com o barulho do estampido.

De imediato, o homem deitou sobre a cama pedindo por socorro dizendo que havia se ferido com o armamento. Segundo informações da polícia, a mulher não soube informar se o disparo ocorreu no momento em que ele manuseava a arma, ou se o tiro foi disparado após o armamento cair ao chão. Vizinhos do casal socorreram o homem, que se queixava de dores no saco escrotal e apresentava sangramento na boca e também no nariz. Um dos vizinhos afirmou ter arrastado com os pés a arma que estava caída no quarto, próximo aos pés da vítima.

Com o auxílio de um pano, a ama foi colocada na janela do cômodo, e a vítima socorrida consciente até a UPA Norte. Na unidade de saúde, foi constatado um orifício de entrada da bala na parte escrotal, no entanto, não havia ferimento de saída. Ainda de acordo com o registro policial, o projétil estava alojado no ombro direito do militar que não resistiu aos ferimentos e veio a óbito.

O conteúdo continua após o anúncio

A perícia foi acionada, isolou o cômodo onde houve o disparo e recolheu a arma calibre ponto 45, um carregador com sete munições intactas e uma deflagrada. Foram encontrados ainda um cartucho calibre 9 mm deflagrado e outro carregador contendo sete munições intactas calibre ponto 45. Todos os materiais foram apreendidos. O caso será investigado pela Polícia Civil.

De acordo com o chefe da comunicação social da 12ª Circunscrição de Serviço Militar, tenente Ronaldo Pereira, o Exército acompanhou os trabalhos das polícias Civil e Militar no dia do ocorrido e irá seguir acompanhando as investigações. “Tudo nos leva a crer que foi um acidente com a arma particular do Diógenes. Infelizmente houve essa fatalidade, e isso deixa todos nós muito tristes”, disse.

Diógenes Alves Teixeira Damasceno ingressou no Exército no ano de 1993 e atualmente trabalhava na sessão de pagamentos. Ele foi sepultado na manhã desta sexta-feira no Cemitério Municipal.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é dos autores das mensagens.
A Tribuna reserva-se o direito de excluir postagens que contenham insultos e ameaças a seus jornalistas, bem como xingamentos, injúrias e agressões a terceiros.



Desenvolvido por Grupo Emedia