Governo e UFMG assinam termo de cooperação para pesquisa em prisões

Objetivo é a realização de pesquisa e capacitação para utilização de aparelhos de body scan e raios-X

Por Wendell Guiducci

11/08/2017 às 15h48 - Atualizada 11/08/2017 às 15h48

O Governo do Estado de Minas Gerais e a Universidade Federal de Minas Gerais assinaram, na última quinta-feira (10), um termo de cooperação técnica para a realização de pesquisas em unidades prisionais do estado. Entre as unidades contempladas estão as de Juiz de Fora. O objetivo é a realização de pesquisa e capacitação em instituições que utilizam os aparelhos de body scan e raios-X nos procedimentos de revista corporal. A iniciativa pretende ainda medir e desmistificar os efeitos da exposição às radiações dos aparelhos, e, com isso, garantir mais segurança aos servidores, visitantes, prestadores de serviço e detentos que passam por constantes inspeções. A Secretaria de Administração Prisional (Seap) informou que o projeto incluirá todas as unidades que possuem o equipamento body scan e de raios-x. O cronograma ainda está em definição.

Em junho deste ano, o Sindicato dos Agentes de Segurança Penitenciária do Estado de Minas Gerais (Sindasp – MG) protestou em Juiz de Fora contra a obrigatoriedade do uso dos equipamentos por eles. Na avaliação dos servidores, os aparelhos são prejudiciais à saúde dos trabalhadores, uma vez que emitem radiação ionizante. Na ocasião, eles questionaram ainda a necessidade de os servidores serem obrigados a passar pelo scanner para acessar as dependências dessas unidades.

Segundo o Governo, além da monitoração das doses emitidas pelos itens que utilizam radiação ionizante e daqueles que se submetem a essa exposição, haverá o treinamento dos funcionários que operam os equipamentos quanto à utilização e interpretação adequada das imagens. O estudo será feito pela Faculdade de Medicina da UFMG. O secretário de Administração Prisional, Francisco Kupidlowski, destacou que a prioridade é zelar pela segurança dos servidores e das demais pessoas que passam pelas inspeções.

O conteúdo continua após o anúncio

 

Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia