Quando só a união faz a força

PUBLIEDITORIAL

Articulação e trabalho em rede entre principais atores envolvidos, de forma direta ou indireta, na prestação de serviços de táxi na cidade, é a aposta para responder de forma eficaz aos desafios impostos pela competitividade

Por Assessoria SEG

03/12/2017 às 07h00

Luiz Fernando Fernandes ((Sindicato dos Taxistas), Rafael Ribeiro Resende (MaisApp e Robin Food), Christian Souza (SEG Rastreadores), Marcos Tadeu Casarin (CDL), Bruno Oliveira (Propaganda), José de Paula Murilo (Associação dos Taxistas), Amarildo Corrêa (Sindicato dos Taxistas), Luiz Gonzaga da Cruz (Associação dos Taxistas), na reunião, na CDL

 

Uma reunião na Câmara de Dirigentes Lojistas, nesta semana, uniu em torno da mesa empresários, lideranças e representantes dos taxistas, em Juiz de Fora, que buscam soluções para aperfeiçoar a prestação de serviço de táxi na cidade. “O ambiente de competitividade e concorrência impulsiona a inovação. Tudo está mudando e vai continuar assim. Daqui a pouco, teremos carros que se deslocam sem a necessidade de motorista. Esse movimento nos faz entender que é preciso sair da zona de conforto, buscar continuamente inovar. São as condições e exigências do mundo atual e temos que nos adaptar”, afirmou o presidente da CDL, Marcos Tadeu Andrade Casarin, ao colocar a estruturadainstituição à disposição dos representantes dos taxistas, como a divulgação via aplicativos de desconto, site e eventos promovidos pela instituição. O apoio inclui ainda a estrutura física para sediar cursos, ações de treinamento e aperfeiçoamento.

Casarin lembrou que a concorrência deve provocar reflexão e mudança de comportamento, ampliando as perspectivas e as formas de analisar os problemas. “Sair da zona de conforto é isso: buscar unir os interesses dos diversos setores envolvidos paradar respostas efetivasaos desafios, sob diferentes ângulos e pontos de vista”, acrescentou. O empresário Christian de Souza, da SEG Rastreadores, recentemente homologada pela Settra para oferecer o serviço de rastreamento integrado ao taxímetro biométrico, reforçou esse posicionamentoao afirmar que a empresa tem buscado ação em rede com o sindicato e a associação dos taxistas, a fim de estimular essa mudança de cultura e a construção de um novo paradigma para as relações entre os profissionais e os usuários do serviço de táxi. “É necessária uma revisão total de postura, que envolve a comunicação, a interação, a abordagem com o cliente, a avaliação da prestação de serviço como um todo para gerar mais satisfação”, defende Christian.

Entre as diversas sugestões e ideias apresentadas na reunião, estão o reforço na publicidade e propaganda do serviço de táxi em diversas plataformas de mídias online e off-line, nos sites e canais de parceiros como a CDL e a Abrasel e, no próprio veículo, com a instalação de bolsões que servirão para abrigar folders e material promocional do turismo gastronômico e de compras da cidade. A CDL também se propôs a apresentar, em conjunto, as demandas junto à prefeitura, como, por exemplo, a isenção do pagamento da taxa de publicidade nos veículos da frota. Também foi identificada a possibilidade de o taxista atuar como serviço de entrega, nos deslocamentos sem passageiros, prospectando novas oportunidades de ganhos.

Para o presidente da Associação dos Condutores Autônomos do Serviço de Táxi (ACAST), Luiz Gonzaga da Cruz, a reunião foi uma das mais proveitosas e produtivas que já participou pois foram apresentadas possibilidades concretas para a melhoria da qualidade do atendimento, satisfação dos clientes e para a valorização do profissional do táxi, reduzindo custos e maximizando os resultados.

Tecnologia como aliada
Para facilitar o contato entre o cliente e o táxi e promover a fidelização, agregando diferenciais competitivos como descontos e créditos, a SEG iniciou o desenvolvimento de um aplicativo próprio que será oferecido gratuitamente para os taxistas clientes da empresa “A gratuidade vai desonerar os custos que hoje eles têm que arcar, mensalmente, para manter ativos os diversos canais e meios de contato com o usuário. Com isso, poderão reverter esses recursos para ações de aperfeiçoamento e qualificação, compreendendo melhor o mercado que atuam, o perfil dos clientes e as suas necessidades”, avalia Christian.

MaisApp e Robin Food
Para o desenvolvimento do aplicativo, a SEG conta com uma consultoria de peso. Formada por jovens empreendedores de Juiz de Fora, a Mais Agência Web é detentora e gerenciadora dos aplicativos do segmento de alimentação e delivery –MaisAppe Robin Food, que movimentam em torno de 30 mil pedidos/mês, na cidade, com faturamento superior a R$ 1 milhão e negócios já expandidos para o nordeste do Brasil. Segundo o empresário, Rafael Ribeiro Resende, sua participação no encontro, articulada pela SEG, tem o objetivo de avaliar como a tecnologia pode ser uma aliada na implementação de práticas e na geração de conhecimento sobre hábitos de consumo orientando os negócios e a tomada de decisão. “Queremos que o dinheiro gerado no município fique aqui e se reverta em desenvolvimento para a cidade,para o mercado e para as pessoas”, afirma Rafael.

Contar com a experiência bem-sucedida dos jovens empreendedores doRobin Food, serviço de deliveryque inspirado no comportamento do lendário herói inglês devolve dinheiro para os clientes, é a aposta da SEG para tornar seu aplicativo ainda mais atrativo para o usuário.  “Faremos o lançamento no prazo de dois meses e estamos com a votação aberta, no site da SEG, para a escolha do nome do aplicativo, com premiação em dinheiro para os vencedores”, destaca o empresário Christian de Souza.

Para saber mais acesse o site www.segrastreadores.com.br

Desenvolvido por Grupo Emedia