Pedreira cede terra para plantio de horta comunitária em Juiz de Fora

Brócolis, alface, cebolinha, couve-flor, almeirão, espinafre, folha de mostarda… No Bairro Linhares, região Leste de Juiz de Fora, os laços de boas ações entre a comunidade começam pela raiz. Fugindo de paradigmas da rotina e relações do capitalismo moderno, as sementes de cada verdura trazem, além de oportunidades, uma refeição saudável para diversas famílias. Cedendo […]

Por Guilherme Arêas

06/06/2017 às 10h59

Pedreira Santo Cristo utiliza uma parte de sua propriedade para a produção de hortaliças e legumes sem aplicação de agrotóxicos. Horta é cultivada por moradores do bairro Linhares (Foto: Matheus Policarpo)
Pedreira Santo Cristo utiliza uma parte de sua propriedade para a produção de hortaliças e legumes sem aplicação de agrotóxicos. Horta é cultivada por moradores do bairro Linhares (Foto: Matheus Policarpo)

Brócolis, alface, cebolinha, couve-flor, almeirão, espinafre, folha de mostarda… No Bairro Linhares, região Leste de Juiz de Fora, os laços de boas ações entre a comunidade começam pela raiz. Fugindo de paradigmas da rotina e relações do capitalismo moderno, as sementes de cada verdura trazem, além de oportunidades, uma refeição saudável para diversas famílias. Cedendo pequenos lotes para moradores do bairro, a Pedreira Santo Cristo utiliza uma parte de sua propriedade para a produção de hortaliças e legumes sem aplicação de agrotóxicos.

Os pedaços de terra são cedidos a moradores da região. Estes, por sua vez, podem contratar funcionários para trabalharem na horta. Os produtos colhidos são vendidos em feiras e disponibilizados, de graça, a moradores do bairro. Com o cultivo de 10 mil mudas por semana, os trabalhadores ainda levam os produtos até escolas, condomínios e um hospital da cidade.

O conteúdo continua após o anúncio

Há quinze anos praticando o cultivo, Ely Resende, organizador de uma das quatro hortas, cuida do plantio como se fosse seu próprio filho. “A durabilidade é bem maior. Deixe uma alface nossa e uma do supermercado na geladeira que você vai ver. Só recebemos elogios, e ver isso faz a gente se sentir bem. Você tem que cuidar como se fosse um filho mesmo. Se precisar comer uma verdurinha, é só chegar que a gente arruma”, conta Ely, que hoje tem cinco colaboradores em sua horta.

Juntos, pessoas da região cultivam no local e promovem a prática de alimentação saudável. Segundo a empresa, o objetivo é impedir a redução da desigualdade social na região, fixar os moradores no bairro e aumentar com sustentabilidade a produtividade agrícola sem o uso de agrotóxicos. A horta já teria gerado cerca de 30 empregos, e o projeto instrui novos agricultores para trabalhar nas terras.

Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia