Cinza, preto e madeira: o trio tendência na Casa Design

Combinação neutra e clássica é trabalhada de diferentes formas na mostra que começa neste sábado

Por Bárbara Riolino

24/09/2017 às 07h00 - Atualizada 22/09/2017 às 19h37

Quem se apega ao clássico não erra ao escolher tons neutros para compor o ambiente, assim como quem busca aconchego investe pesado na madeira. Unindo essas duas vertentes, cria-se uma terceira via que equilibra muito bem esses dois conceitos, conferindo modernidade, atemporalidade e versatilidade. Neste ano, a mostra do Casa Design de Juiz de Fora reserva bons projetos que exemplificam esta tendência, partindo da sala de estar até os dormitórios.

Sala duplicada

Projeto da sala de estar prioriza o cinza nas paredes em contraste com sofás brancos. (Foto: Marcelo Ribeiro)

Uma das formas de se trabalhar o cinza, proposta pela arquiteta e designer de interiores Maria Paula Schettino, é aplicar o efeito marmorato, que nada mais é do que uma textura feita à base de tinta, que cria aparência de mármore na superfície.

Esta alternativa aparece em seu projeto de sala de estar, que combina, além do cinza, o preto e o branco, presentes nos móveis, assentos e nas paredes, a partir dos painéis com corte a laser e laca com brilho, e no papel de parede geométrico, feito em impressão 3D.

Outro ponto forte do ambiente é a simetria provocada pelos objetos escolhidos. “O efeito espelhado é esteticamente interessante, e a simetria permite também um ambiente mais organizado visualmente”, comenta a profissional.

Bebê atemporal

Projeto para quarto infantil traz cores neutras e madeira de demolição. (Foto: Marcelo Ribeiro)

Para quebrar paradigmas de gênero, a arquiteta Daniele Baião trouxe um novo olhar para os quartos infantis. Ao contrário de cores clássicas e apelos lúdicos, a proposta foi projetar um quarto atemporal, podendo ser usado do recém- nascido até a adolescência. “Para isso é necessário substituir alguns móveis como berço, poltronas e os objetos de decoração, que transformam completamente o ambiente”, comenta. Daniele sugere o uso de objetos de arte únicos e exclusivos: desenhos infantis. “A ideia de criar um cantinho com quadros pintados pelas próprias crianças, que servem como incentivo à arte, além de eternizar obras de nossos pequenos artistas, marcam cada fase da vida delas”.

Neste projeto, o ponto de partida foi a madeira de demolição. A partir do tom da madeira, a paleta de cores foi construída para criar um quarto unissex, com o uso das cores cinza azulado, o branco e o preto. Segundo Daniele, materiais rústicos como a madeira, o linho, o crochê, a camurça e o ferro envelhecido, além de contribuírem para a decoração, servem como estímulo à consciência ecológica da criança e à integração dela com a natureza.

Laranja para sacudir

O tom laranja quebra a sobriedade no quarto jovem, valorizado pelo projeto luminotécnico. (Foto: Marcelo Ribeiro)

A neutralidade provocada pelo “trio tendência” – cinza, preto e madeira – foi desconstruída pelos arquitetos Raphael Salgado e Larissa Kingma a partir da escolha do laranja para dar vitalidade ao quarto do jovem. “Em um ambiente onde as cores predominantes são as sóbrias, o laranja se destaca trazendo identidade e personalidade ao ambiente”, ressalta Salgado.

Inspirado em um jovem contemporâneo e livre de estereótipos, o projeto é uma alternativa para atravessar aquela fase de transição entre a infância e a vida adulta. “É uma fase única, um momento de descoberta. O quarto possui uma atmosfera tranquila, onde o jovem pode escutar suas músicas, ler, guardar seus objetos de uso diário e suas lembranças, num ambiente contemporâneo cheio de detalhes”, comenta Larissa.

O conteúdo continua após o anúncio

Outro ponto forte do quarto é a iluminação, pensada para criar diferentes cenários: do momento de estudo até a valorização da decoração. “Para conseguir dar estes diferentes efeitos, as luzes se acendem independentes umas das outras, permitindo ao dono usufruir deste ambiente em diferentes situações”, finaliza a dupla.

Aconchego a dois

Sem TV, quarto do casal foi projetado para criar clima calmo, com velido preto, laca off-white e concreto aparente. (Foto: Marcelo Ribeiro)

Por último, o quarto de casal. Desenvolvido pelas arquitetas Ravena Abreu e Samia Casella, o projeto atende a demanda de um casal jovem, dinâmico e moderno. Essa atmosfera é criada a partir da paleta de materiais definida pelas profissionais, que traz elementos como o concreto aparente, o veludo preto e a laca off-white.

“Para proporcionar aconchego e acolhimento, pelo fato de o quarto ser um local destinado ao relaxamento, materiais como o tecido com estampa pied poule, usado na poltrona, e piso laminado em madeira foram definidos para obter essas sensações”, destaca Ravena. Outra saída para manter este clima calmo foi a não utilização de TV no quarto. “Optamos por uma estante com objetos afetivos e uma vitrola, localizada ao lado de uma poltrona confortável, criando um espaço de leitura e descanso”, comenta Samia.

As arquitetas deixaram de lado a simetria que a posição da cama de casal impõe sobre o quarto. “De um lado, uma mini cômoda, do outro, duas mesas de cabeceira de alturas diferentes, que conferem um ar descontraído”, destacam as profissionais.

Mostra Casa Design 2017
De 23 de setembro a 5 de novembro, quarta a domingo, das 14h às 22h, na Rua Almirante Barroso 55, Praça Presidente Kennedy, Paineiras

 

Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia