Para comer, beber e contemplar

Áreas para as refeições ganham cada vez mais destaque nas casas, mas o papel de protagonista fica com a cozinha

Por Bárbara Riolino

01/10/2017 às 06h30 - Atualizada 30/09/2017 às 19h35

Na sala de almoço, arquitetos aliam gastronomia a outros prazeres, como música, literatura e arte (Foto: Marcelo Ribeiro)

O interesse em levar uma vida saudável tem despertado nas pessoas a vontade de cozinhar e conhecer melhor os alimentos. Para isso investem em utensílios que deixam a cozinha de casa tão equipada quanto a de um restaurante. Depois de elaborar as receitas, nada melhor do que convidar os amigos para degustar. É aí que entra a mesa posta, uma moda que veio para ficar, adornando as mesas e deixando-as ainda mais convidativas. Neste ano, o Casa Design apresenta projetos que propõem muito mais do que uma experiência gastronômica, mas uma contemplação do que é belo, funcional e atemporal.

Prazeres além do paladar

A copa, área deixada de lado em muitos projetos de interiores, voltou com força total na proposta dos arquitetos João Pedro de Almeida e Isadora Vidal. A proposta é dar novos ares a este ambiente, tornando-o muito mais convidativo. “Optamos por ser onde música, literatura e arte se encontram com o prazer das refeições cotidianas. É um ambiente pensado para que a vivência do espaço tenha sua relevância”, destacam os profissionais.
O ambiente é marcante desde a sua entrada, por meio de um portal em madeira com batente escultural, produzido com o reaproveitamento de vergalhões, criado e executado pela dupla. “A presença da materialidade é o que define diversos detalhes do projeto: as paredes em textura que foi criada exclusivamente para a sala; os papéis de parede que se impõem como um forte elemento visual e sensorial; e o emprego constante da madeira, que torna o local humano e acolhedor”, comenta Isadora.

Peças assinadas por designers como a mesa e as cadeiras, compõem a montagem da sala de jantar, que possui inúmeras possibilidades de uso. (Foto: Leonardo Costa)

A Sala de Almoço e Convívio ainda reserva uma setorização espacial intuitiva, que se divide entre momentos de extroversão, vividos ao redor da mesa, e de introspecção, marcados pela presença da poltrona e toca-discos. A paleta neutra de tons claros permite a pontuação de peças que merecem destaque, como os objetos de design do acervo da dupla.

Entre os destaques, segundo João Pedro, estão as cadeiras Eiffel assinadas pelos Eames, em azul, cor que também aparece em outros adornos e nos quadros com fotografias. “Simplicidade e leveza regem nas escolhas das linhas secas do design dos móveis, um espaço para o seu tempo”, ressalta.

Sem cerimônias

Peças de design contemporâneo e materiais naturais marcam a Sala de Jantar criada pelos arquitetos Fábio Barbosa, Marcella Peixoto e Katy Barbosa. A proposta foi dar vida a um espaço informal, capaz de atender a diversos usos, de forma harmônica e descontraída, combinando tons neutros e detalhes em verde e azul.

“Mais do que ser vista, uma casa precisa ser vivida. No teto, projetamos vigas em madeira com iluminação embutida e suave, destacando o linho que utilizamos como forro. Há couro, madeira clara e o porcelanato inspirado em cimento queimado, que mescla a modernidade e o aconchego em um lugar para receber amigos, relaxar e fazer refeições”, comenta Katy.

As infinitas formas de uso, segundo Marcella, pode acontecer de diferentes maneiras, inclusive, simultâneas. “Num dos ambientes temos um espaço de estar destinado ao relaxamento e leitura, podendo ser utilizado por duas pessoas ao mesmo tempo”, observa. A sala ainda integra-se ao lado externo da casa, com uma janela aberta para um dos jardins da mostra.

O conteúdo continua após o anúncio

Assim como na sala de almoço, o trio usou e abusou de peças de design. Fábio destaca peças como a poltrona Flexus, do designer Pedro Useche; a mesa oval e aparador em aço corten do designer Silvio Romero; e as cadeiras Gaia, do designer Del Sávio. “Entre os dois ambientes, a obra de arte da artista plástica Adriana Lopes faz o papel de divisória e sutilmente mantém a permeabilidade visual, cumprindo a função de separá-los fisicamente”, ressalta.

Onde a magia acontece

Cozinha mistura texturas e traz novo uso para o parcelamento: acabamento para cooktop e bancadas (Foto: Marcelo Ribeiro)

As cozinhas ganharam posição de destaque nas moradias contemporâneas. O local, antes ligado às atividades laborais, é hoje o ponto de encontro da família e dos amigos. E foi com esta proposta que as arquitetas Tatiana Sarmento e Sabrina Beloti projetaram a Cozinha Gourmet, um ambiente de identificação para as pessoas.

“O conceito principal foi explicitar o novo caráter social da cozinha, além da democratização dos estilos de decoração. Buscamos associar elementos da memória afetiva comum dos usuários, gerando um sentimento de pertencimento”, pontuou Sabrina.

A cozinha também faz integração com área de serviço e a área de estar, o que confere funcionalidade à rotina das pessoas. Outro destaque do projeto é o uso de tons de bronze e cobre, pouco utilizados nas cozinhas, e os tijolinhos, que saem das paredes e vão até o teto. “É uma forma de mostrar como podemos usar os materiais de formas inusitadas. O tijolinho trouxe aconchego à cozinha, uma vez que a proposta era mesclar materiais rústicos e modernos”, comenta Tatiana.

A cozinha, segundo a dupla, ainda propõe uma opção interessante para as bancadas: uso do porcelanato com características de pedra, onde as trempes do cooktop foram instaladas. O porcelanato escolhido resiste ao calor e a riscos, por isso também foi colocado na bancada da pia. “O toldo retrátil e automático na varanda contribui para maior usabilidade da área. Os móveis também foram planejados, mas de forma mais leve, como a torre de equipamentos, que não está em forma de estanque, mas com espaços vagos para decoração e outros itens de cozinha”, ressaltam.

Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia