Volkswagen quer fazer do novo Polo uma referência

Por Eduardo Rocha, Auto Press

Por Tribuna

01/10/2017 às 07h00 - Atualizada 29/09/2017 às 14h45

 

Modelos compactos ganham cada vez mais adeptos mundo afora, tanto por conta da praticidade para o uso urbano quanto pela economia. Mas no Brasil, com a crise, as vendas se concentraram nos modelos pequenos como nunca, seja hatch, sedãs ou SUVs. Mas como não é apenas uma questão financeira, as marcas buscam seduzir o consumidor mais abonado ao apresentar modelos mais refinados com recursos mais sofisticados. E o caso mais flagrante é o do Volkswagen Polo. A sexta geração do compacto está sendo lançada no Brasil ao mesmo tempo em que chega ao mercado europeu. Ele desembarca nas concessionárias em novembro com três motorizações, quatro níveis de equipamento e preços que vão de R$ 49.990 a R$ 69.190, sem opcionais. O modelo top completo fica em R$ 74.590.

Em relação ao Polo de quarta geração, que deixou de ser produzido no Brasil em 2014, o Polo VI cresceu em todos os sentidos. São 10 cm a mais no entre-eixos, outros 10 cm a largura e 16,7 cm no comprimento total. As medidas são 4,06 metros de comprimento, 1,75 m de largura, 1,47 m de altura e 2,56 m de entre-eixos. O porta-malas passou dos 270 litros anteriores para 300. Além disso, a plataforma MQB, mesma do Golf, tem uma composição com cinco tipos de aço tanto para aumentar a rigidez torcional, o que aumenta a estabilidade, quanto para reduzir peso e programar mais precisamente as áreas de deformação.

A parte de segurança tem especial destaque no novo modelo da Volkswagen. Desde a versão mais básica, chamada simplesmente de Polo, o hatch vem com airbags laterais, além dos frontais obrigatórios. Esta decisão de incluir as bolsas de ar adicionais de série tem a ver com as estrelas do Latin NCap. Sem elas, o Polo não chegaria nas cinco estrelas para adultos e crianças que alcançou. Tanto o Polo de entrada quanto o intermediário MSI trazem vidros elétricos, inclusive traseiros, ar-condicionado, sistema de som com conexão Bluetooth, travas elétricas com controle remoto e computador de bordo. Como opcionais aparecem um pacote que inclui controle de estabilidade e tração e bloqueio eletrônico do diferencial por R$ 1.050. Outro pacote traz rodas de liga leve, volante multifuncional e central multimídia touch por R$ 2.290.

1.0 ou 1.6?

A única diferença entre as duas versões é a motorização. O Polo básico recebe o motor 1.0 de três cilindros aspirado, igual ao que equipa Up e Gol. Ele rende 75/84 cv de potência e 9,7/10,4 kgfm de torque, com gasolina/etanol, e é sempre gerenciado por um câmbio manual de cinco marchas. Já o MSI, como o próprio nome denuncia, recebe o motor 1.6 16V MSI com 110/117 cv de potência e 15,8/16,5 kgfm de torque. Ele é gerenciado pelo mesmo câmbio manual de cinco marchas MQ200.

As duas versões superiores, Comfortline e Highline, são animadas pelo motor TSi, semelhante ao que equipa a versão intermediária do Golf. Ele rende a potência de 116 cv com gasolina e 128 cv com etanol e é bem semelhante ao usado no Golf TSi, só que no hatch médio, ele rende 116/125 cv. O torque máximo fica sempre em 20,4 kgfm. A Volkswagen fez questão de equalizar o torque nas duas versões para justifica o nome estampado na traseira, “200TSI”, medida do torque do motor em Newton metros. Nesta motorização, a transmissão é sempre automática de seis velocidades.

A versão Comfortline recebe de série os dois pacotes de opcionais das configurações mais baratas. Além disso, adiciona diversos outros itens como freios a disco nas quatro rodas, sensor de estacionamento traseiro, apoio de braço, saída de ar para o banco traseiro e rodas de liga leve de 15 polegadas. Só com os itens de série, o valor fica em R$ 65.190. Um pacote de opcionais inclui chave presencial para destravamento e partida do motor, que é através de botão, paddle shifts no volante, controle de cruzeiro, sensores de chuva e luz, retrovisor interno eletrocrômico e rodas de liga aro 16. Adiciona R$ 2.990 ao valor final. O segundo pacote traz os itens do primeiro e por mais R$ 1.890 inclui ar digital, câmara de ré, sensor de obstáculos dianteiro, banco traseiro deslizante, detector de fadiga e indicador da pressão dos pneus. Completo, com bancos de couro, chega a R$ 70.830.

Na versão de topo Highline aparecem alguns itens exclusivos, como uma central multimídia mais sofisticada, com GPS e tela responsiva de 8 polegadas, que se agrega ao segundo pacote do Comfortline e custa R$ 3.585. Outro item interessante, mas caro, é o Active Info Display, que substitui o painel padrão por uma tela de TFT configurável, que ocupa todo o cluster diante do motorista. O equipamento está agregado a rodas de 17 polegadas e acrescenta R$ 5.990 ao valor final.

Apesar dos preços pouco convidativos, o bom nível de conteúdo do novo Polo deixa a Volkswagen esperançosa em fazer uma boa figura no ranking de vendas no país. A marca chegou até a reposicionar e reduzir a linha Fox, modelo que ainda tem um bom fôlego no mercado, na esperança de herdar com o Polo as vendas das versões mais caras. E mesmo que o hatch vá brigar apenas com o topo de gama de rivais como Chevrolet Onix, Ford Fiesta e Hyundai HB20, a Volkswagen espera, pelo menos, vender o mesmo que o Fiat Argo, entre 4 mil e 5 mil unidades mensais.

Primeiras impressões

A não ser pela velada crítica à mesmice estética, não há qualquer demérito quando se define o novo Polo como um mini-Golf. No caso da atual geração, até a plataforma é a mesma. E o motor 1.0 TSI também, mas enquanto no hatch médio ele está na versão intermediária, no compacto ele fica no topo. Seus 116/128 cv de potência resolve com muita facilidade a função de empurrar os 1.147 kg do modelo mais completo. O zero a 100 km/h é feito em 9,6 segundos e a máxima é de 192 km/h, sempre com etanol.

Além das linhas, o que faz o Polo lembra o Golf é o comportamento dinâmico. Acelera com vigor, retoma com facilidade, faz curvas sem hesitações e mantém um ambiente silencioso e tranquilo no interior. O espaço interno é também bastante satisfatório para a categoria. E assim como no Golf, o material de acabamento é apenas correto para a categoria. O que significa dizer que é um tanto despojado. Todas as superfícies são em plástico rugoso rígido, com pequenas áreas de tecido nas portas.

Tanto interna quanto externamente, as linhas de design buscam ângulos afiados e agudos. Os vincos na carroceria são profundos e traçados em formato de uma curva leve, o que dá um aspecto de velocidade ao hatch. Os conjuntos óticos, subdivididos em diversas seções, emprestam uma certa sofisticação ao modelo. Por dentro, o tablier da versão Highline recebe um aplique plástico pintado em prata e também dá um ar de requinte ao interior. O volante de três raios e a combinação de peças em alumínio, preto brilhante e cromado ajudam nessa impressão.

Ficha Técnica

Volkswagen Polo Highline 1.0 TSI

carro11 carro21 carro3
<
>

Motor: Gasolina e etanol, dianteiro, transversal, 999 cm³, com três cilindros em linha, quatro válvulas por cilindro e turbocompressor. Acelerador eletrônico e injeção direta de combustível.

O conteúdo continua após o anúncio

Transmissão: Câmbio automático com seis marchas à frente e uma a ré com paddle shifts no volante. Tração dianteira. Possui controle eletrônico de tração e bloqueio automático do diferencial.

Potência máxima: 128/116 cv a 5.500 rpm com etanol/gasolina.

Aceleração 0 a 100 km/h: 9,6 segundos (etanol).

Velocidade máxima: 192 km/h (etanol).

Torque máximo: 20,4 kgfm a partir de 2 mil rpm.

Diâmetro e curso: 74,5 mm X 76,4 mm. Taxa de compressão: 10,5:1.

Suspensão: Dianteira independente do tipo McPherson, com triângulos inferiores, amortecedores hidráulicos e barra estabilizadora. Traseira por eixo interdependente com braços longitudinais com molas helicoidais, amortecedores telescópicos hidráulicos e barra estabilizadora. Oferece controle eletrônico de estabilidade.

Freios: Discos ventilados na dianteira e sólidos na traseira.

Pneus: 195/55 R16 ou 205/50 R17.

Carroceria Hatch em monobloco com quatro portas e cinco lugares. Com 4,06 metros de comprimento, 1,75 m de largura, 1,47 m de altura e 2,56 m de distância entre-eixos. Oferece airbags frontais e laterais de série. Peso: 1.147 kg em ordem de marcha.

Capacidade do porta-malas: 300 litros.

Tanque de combustível: 52 litros.

Produção: São Bernardo do Campo, São Paulo.

Preço: R$ 69.190.

Opcionais: Roda de liga leve de 17 polegadas, sistema Infotainment Discover Media com tela touch de 8 polegadas com navegação, bancos e revestimento interno em couro, câmara de ré, sensor de obstáculos dianteiro, sensores de luz e chuva, banco traseiro deslizante, detector de fadiga e indicador da pressão dos pneus e painel configurável em TFT.

Preço completo: R$ 74.590.

Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia