Lula deve visitar Juiz de Fora em março

Por Paulo Cesar Magella

08/10/2017 às 07h00 - Atualizada 07/10/2017 às 17h38

Só eleitoral

O Congresso fez uma reforma eleitoral, e não uma reforma política, como se esperava. Mesmo assim, os pontos aprovados surpreenderam, pois foram além do que estava sendo visto ao curso das votações. A deputada Margarida Salomão considera que o Parlamento ficou devendo uma reforma mais ampla, mas advertiu que, em alguns pontos, o que foi aprovado poderá dar um novo quadro ao Legislativo. Ela aponta, por exemplo, a cláusula de barreira. Pelas contas das lideranças, tão logo haja sua adoção, o efeito será a redução drástica no número de legendas. Se hoje 26 estão abrigadas na Câmara e no Senado, esse número deve despencar para oito ou nove. “Creio que vai acabar a baderna partidária”, destacou.

Financiamento

A parlamentar petista destacou também o fundo eleitoral que irá financiar as campanhas. “O financiamento público é uma bandeira histórica do PT, mas o grande avanço foi o estabelecimento de um teto”, enfatizou. Margarida Salomão destaca que sem o financiamento público haveria sérios danos à representatividade, pois os segmentos menos afortunados financeiramente estariam fora da disputa. Com o teto e com todos tendo direito aos mesmos recursos, de acordo com a sua representação, o jogo fica equilibrado.

Lula em JF

O ex-presidente Lula deve vir a Juiz de Fora em março, mas essa agenda ainda não está fechada. De acordo com Margarida Salomão, ele continuará seu périplo pelo Nordeste e pelo Norte para, só a partir daí, visitar as demais regiões. Os muitos embates na Justiça, no entendimento da parlamentar, não irão alterar a proposta do ex-presidente de percorrer o país.

O conteúdo continua após o anúncio

Fim do prazo

Terminou o prazo de mudança de partido dos políticos interessados em participar diretamente das eleições de 2018, mas nenhuma movimentação ocorreu entre os personagens da cidade. O vereador Rodrigo Mattos, convidado pelo PHS para disputar uma vaga na Assembleia, mantém a pré-candidatura, mas continua no PSDB. O deputado Júlio Delgado, que sustenta uma luta interna com o ex-prefeito de BH Marcio Lacerda, também foi convidado por outras legendas, mas se mantém no front socialista. Seu embate, agora, fica em torno das candidaturas que o partido irá apresentar ao eleitor.

Último preso

Por indicação do vereador Roberto Cupolillo (Betão-PT), a Câmara entrega, nesta segunda-feira (9), o título de Cidadão Honorário de Juiz de Fora a José Francisco Neres. Ele foi o último preso político libertado, em 28 de março de 1979, após a anistia. Foi também um dos mais ativos participantes do processo de democratização e reconstrução do PCB. Nos anos 1990, ocupou a secretaria do partido em Minas e, atualmente, é militante na luta pelos direitos dos ex-perseguidos políticos. Também faz parte da Comissão da Verdade.

Paulo Cesar Magella

Paulo Cesar Magella

Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia