Os cinco primeiros passos para empreender após a maternidade

Em 11 anos, o número de mulheres empreendedoras e chefes de famílias saltou de 6,3 milhões para quase 8 milhões, um aumento de 25%

Por Patricia Castro Martins, analista do Sebrae Minas

17/10/2017 às 10h00 - Atualizada 17/10/2017 às 10h15

Quando nos tornamos mães é como se um mundo totalmente novos e abrisse diante de nós. Essa realidade, repleta de situações, sentimentos e diferente de tudo o que já vivemos, exige de nós abertura para uma adaptação.

Um questionamento é comum à maioria das mães: e agora? Como conciliar trabalho e meu filho? Deixo de trabalhar para cuidar somente dele? É possível sobreviver sem minha remuneração mensal?

Continuar trabalhando em uma empresa implica, muitas vezes, em pouco tempo para estar com o filho tão esperado, tão amado, e isso acarreta em, por exemplo, perder o primeiro sorriso, a primeira vez que engatinhou, os primeiros passinhos, a primeira fala…

É devido a essa busca pelo equilíbrio de conciliar trabalho com a criação do filho que o empreendedorismo materno vem crescendo a todo vapor no mundo inteiro. De acordo com o anuário das Mulheres Empreendedoras e Trabalhadoras das Micro e Pequenas Empresas, divulgado em 2016 pelo Sebrae e pelo Dieese, em 11 anos, o número de mulheres empreendedoras e chefes de famílias saltou de 6,3 milhões para quase 8 milhões, um aumento de 25%. E os setores em que elas mais investem são os de comércio e serviços: 71,5%.

 

Alguns cuidados são fundamentais para as mulheres que desejam empreender após a maternidade. Os cinco primeiros são:

1 – Escolha um espaço na sua casa para um home-office, que lhe permita privacidade nas horas em que estará dedicada ao trabalho. Para dar certo, é importante criar uma rotina diária com o tempo de ocupação à atividade predefinido. Não tem como trabalhar e cuidar do filho ao mesmo tempo. Você não vai fazer nenhuma das atividades bem-feitas.

2 – Consiga apoio de alguém para auxiliá-la com a casa e o seu filho, enquanto estiver trabalhando. Você pode contratar uma funcionária do lar ou contar com a ajuda das vovós ou, então, colocar o seu filho na creche, no período em que você está trabalhando;

O conteúdo continua após o anúncio

3 – Defina com o que vai trabalhar.Pode ser uma paixão ou um talento que você tem e que estava guardado ou até mesmo uma atividade dentro de sua profissão. Pense em atividades que possam ser adaptadas à nova realidade. Explore a criatividade no desenvolvimento de produtos ou serviços novos, tendo como inspiração suas novas experiências.Esse novo momento materno pode fazer algo que transforme a sua vida e a de outras mães, como alguma facilidade que ainda não existe no mercado.

4 – Planeje a sua empresa. Quanto mais você planejar, maior a chance de sucesso e retorno financeiro, que é um dos principais objetivos. Comece fazendo um plano de negócios para ver a viabilidade da sua ideia. O Sebrae Minas te auxilia com vários materiais que podem ajudar no planejamento da sua empresa;

5 – Formalize a sua empresa. Iniciar o negócio como Microempreendedor Individual (MEI)pode ser uma boa escolha para o início de sua atividade como empresária, caso a atividade exercida seja permitida.

 

Agora é mãos à obra! Dedique-se a sua nova atividade, fomentando o empreendedorismo e, ao mesmo tempo, curtido o crescimento do seu filho em todas as fases. Boa sorte!

Tribuna

Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia