Carne de Cordeiro harmonizada com Cerveja Antuérpia

Durante o Festival Gastronômico de Ibitipoca, tivemos a deliciosa missão de provar vários pratos e harmonizar alguns com a família de cervejas Antuérpia.

Por Claudia Figueiredo

25/10/2017 às 12h38 - Atualizada 25/10/2017 às 14h35

A convite da curadoria do Festival Sabores da Serra, o Pé na Estrada Antuérpia subiu a Serra de Ibitipoca para participar das festividades gastronômicas que perfumaram o arraial de Conceição de Ibitipoca, entre os dias 20 e 22 de outubro.

Tivemos a deliciosa missão de provar vários pratos e harmonizar alguns com a família de cervejas Antuérpia. Chegamos com a recepção de Dudu Guedes, do Truck de Chopp Antuérpia, amenizando a alta temperatura do sábado. Entre um chopp Pilsen e um IPA, acompanhamos o trabalho do Chef Mateus Abdo, assando cordeiro no fogo de chão. Cordeiro, aliás, que merece destaque especial porque se trata de um produto de altíssima qualidade e, acredite, totalmente orgânico, produzido pelo Sítio Urucum (BR-267, Km 150), administrado pelo simpático casal Terezinha e Arnaldo Valentim.

Ao lado de sanduíches de pernil, pastel e linguiça do produto, o cordeiro assou durante todo o dia, recebendo tratamento vip e pinceladas de molho. As duas bandas de carne saltaram da amarração de espeto já no início da noite, suculentas e cheias de sabor.

Pedimos para o Chef Mateus Abdo promover a harmonização com a Cerveja Antuérpia e levamos para ele três tipos: a Munich Dunkel, que casa bem com carnes de caça e carnes vermelhas; a Tabla, que combina com carnes com chili (e tinha um molhinho bem apimentado no stand do Sítio Urucum) e Eugênia, uma witbier, com aroma frutado com destaque ao suave sabor de pitanga e acerola.

O conteúdo continua após o anúncio

O mais incrível é que as harmonizações destas três cervejas com o cordeiro agradaram paladares diferentes, atestando a diversidade das cervejas Antuérpia. O Chef Mateus Abdo preferiu a combinação de cordeiro com a cerveja Eugênia, já o senhor Arnaldo gostou do cordeiro acompanhado pela Munick Dunkel e euzinha, tasquei o molho apimentado na carne de cordeiro e saboreei com a Tabla.

Como dizem meus amigos, “eita vida difícil Claudinha!”.

Nos próximos dias, vamos continuar contando sobre nossas experiências gastronômicas em Ibitipoca. Fique ligado!

Siga-nos no Instagram e Facebook 

Claudia Figueiredo

Claudia Figueiredo

Jornalista e Radialista. Cozinheira por amor e por encomenda. Autora do livro "Na Cozinha com Claudinha" e organizadora do livro "Os Segredos do Fátima Buffet". Blogueira do www.gastrocomamor.com.br

Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia