Entre o Banco e o Volante: Bruno Siqueira, prefeito de Juiz de Fora

Por Dudu Mazzei

20/09/2017 às 22h32 - Atualizada 20/09/2017 às 22h53

Entre o banco e o volante

Bruno Siqueira, prefeito de Juiz de Fora

Cheguei à recepção do gabinete do prefeito com um certo peso na consciência. Muita “cara de pau” em tomar o tempo de um governante para saber sua relação pessoal com o automóvel.

Quando me avisaram que poderia entrar em sua sala, uma surpresa: ele mesmo me esperava à porta. Acho que não consegui esconder minha ansiedade. Me acomodei no sofá, cacei o aplicativo de gravação de voz no celular. Demorei, mas achei. Com medo de alguma falha, usei também papel e caneta.

O prefeito de Juiz de Fora Bruno Siqueira com uma réplica em miniatura de uma viatura da Guarda Municipal. (Foto: Dudu Mazzei)

Me conta sua relação com os automóveis? “Recordo, quando eu era criança, que minha mãe tinha um Fusca 1974 branco. Como naquela época não tinha cadeirinha ou assento especial para crianças, eu gostava de andar naquele espaço entre o banco de trás e o vidro traseiro”, relembra Bruno, com visível ar nostálgico.

O conteúdo continua após o anúncio

“Aos 14 anos, aprendi a dirigir na Belina LDO 1982 do meu pai, na fazenda de um tio, em São João Nepomuceno. Assim que me formei, comecei a trabalhar e juntar dinheiro. Meu primeiro carro foi um Corsa 1.0. Depois um Polo Classic 1.8, Fiat Brava, VW Golf e em 2008 comprei um Peugeot 307”.

O atual carro de Bruno é um Mitsubishi Lancer GT, câmbio automático. Pelo que ele diz, é um carro “de garagem”. “Em quase um ano e um mês, rodei menos de 10 mil quilômetros.” Curioso, quero saber se ele mesmo lava o seu carro. “Quando eu era adolescente, sim. Depois de entrar para a faculdade, parei. Uso a ducha oferecida nos postos, quando abasteço. Meus três últimos carros foram prata, porque sujam menos e são mais discretos”, detalha o prefeito.

Resolvi cutucá-lo e contar que me disseram que ele é “meia roda”. “Não, nunca bati estando culpado. Me envolvi até hoje em duas leves colisões, mas os outros é que estavam errados.”

Dudu Mazzei

Dudu Mazzei

Nascido e criado em JF, formado em Técnico de Mecânica no CTU da UFJF, mecânico desde 1984, tenho uma oficina de carros desde 1986, sou jornalista e fotógrafo desde 1989. Participo de provas de automobilismo há mais de 35 anos como mecânico/preparador, fotógrafo ou jornalista. Às vezes, todas as funções ao mesmo tempo. Sou também consultor automobilístico e instrutor de mecânica de autos.

Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia