Papa Gregório XII e o cervejeiro

No post de hoje vamos falar dos passos e etapas do processo de produção de cervejas

Por Alexandre Vaz

31/10/2017 às 12h39 - Atualizada 31/10/2017 às 12h45

Fala, Canequeiro!

Vamos falar de tempo? Mais especificamente de calendários. O calendário como conhecemos hoje é chamado de calendário gregoriano. Ele foi promulgado pelo Papa Gregório XIII em 1582. Seu principal objetivo era “trazer pro lugar” o equinócio da Primavera na Europa que acontece no dia 21 de março. Após a sua implementação, foi proibido seguir outro calendário, quem o fizesse corria o risco de ser excomungado pela Igreja Católica.

Bom, o calendário gregoriano se espalhou pelo mundo e ainda hoje contamos dias por ele. Mas meu espírito rebelde me impede de seguir regras e datas, por isso os posts aqui do blog estão assim, sem data muito certa. Porém, em um ponto da minha vida o calendário é fundamental, na hora de fabricar cervejas seguir prazos é muito importante.

No post de hoje vamos falar dos passos e etapas do processo de produção:

1 – Mostura

É onde tudo começa, momento de misturar os grãos de malte de cevada moídos com água quente para que haja uma reação enzimática e ela dê origem aos açucares. É hora de cozinhar. A mostura dura em média 8 horas.

via GIPHY

 

2 – Fervura

Aqui adicionamos lúpulo, para amargor e aroma, e outras coisitas mais. Se ferve o mosto por pelo menos 1 hora, o que faz da cerveja uma das bebidas mais seguras pro consumo.

via GIPHY

 

3 – Fermentação

Podemos dizer que é onde a magia acontece. Essa etapa pode durar de 5 a 8 dias dependendo do estilo de cerveja produzido. Se ela acontecer rápido demais denota um problema na fermentação.  Se for interrompida antes do tempo pode gerar problemas de atenuação, nem todo o açúcar será transformado em álcool.  Exemplos de erros nessa fase são cervejas doces e turvas ou com outros defeitos mais complexos.

O conteúdo continua após o anúncio

via GIPHY

 

4 – Guarda Quente

Nessa fase, que dura cerca de 2 dias, deixamos a temperatura da cerveja subir controladamente para absorver os compostos indesejáveis de acetila.  De forma prática, uma guarda quente feita corretamente evita cerveja com gosto amanteigado, por exemplo.

via GIPHY

 

5 – Maturação

Começamos a descer a temperatura da cerveja para o fermento e todos os sedimentos decantarem. A temperatura é levada à 0° – Cold Crash –  as proteínas e o fermento se aglutinam e decantam, com isso a cerveja fica mais translúcida. Além do aspecto visual, essa fase vai afetar características de aroma e sabor, pois continuam ocorrendo reações físicas, químicas e orgânicas.  Como cerveja é um organismo vivo, a maturação pode durar 10 dias para algumas e até 2 meses para outras.

via GIPHY

Como você viu são muitas datas e prazos que devem ser seguidos, mas existe um fator que se sobrepõe a todos eles, tipo um trunfo: o cervejeiro. Ele com seu olfato e paladar é quem dá o aval final sobre a cerveja.

via GIPHY

E aí? Curtiu entender um pouquinho de cada etapa do processo produtivo? Espero que sim! Espero também que você continue acompanhando esse blog que, mesmo feito sem data, é feito com muito amor.

Beba com moderação e olhe para os dois lados antes de atravessar.

Alexandre Vaz

Alexandre Vaz

Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia