Um pouco da minha história

Do porquê dessa história...

Por Cristina Coronha

05/12/2017 às 10h19 - Atualizada 05/12/2017 às 10h19

…acredito que minha vocação para o magistério se manifestou na infância, quando teatralizava situações da escola e, vestida de adulto, ensinava com entusiasmo para as bonecas. Apesar de não ter vivido a alegria do sucesso na sala de aula, imaginava uma realidade bem mais feliz e a fazia minha… e ainda a faço…

Comecei a lecionar após o término do curso normal, aos 17 anos, condição que me encontro até hoje, aos 54; acrescentei a essa prática outras como a psicopedagogia clínica, a capacitação de professores, a orientação de pais e a orientação vocacional. Sou uma eterna estudiosa e observadora das questões humanas. Acredito que todos nascemos com capacidades ilimitadas que precisam ser descobertas e potencializadas. Mas como fazê-las brotar?

Pais e professores são (devem ser) partejadores de homens, como ensinou Sócrates, devem colaborar para que cada criança e jovem dê luz ao melhor  que tem; nossas mãos devem trabalhar como as parteiras, que, participando de todo o processo, se colocam lado a lado e ajudam a conduzir o esforço, ensinando as manobras e atitudes necessárias, com base em sua experiência, mas deixando  para cada um o trabalho, natural e exclusivo, de fazer nascer, de dar a luz – neste caso aqui- a um conhecimento, a um novo comportamento, uma habilidade ou vocação.

Minha teoria se baseia na máxima de que Melhores Pais e Professores, Melhores Filhos e Alunos, entendendo que a Educação se dá pelo Exemplo. Dessa forma, este será um espaço de expressão de vivências, dúvidas e reflexões, sugestões e convite às práticas assertivas acerca da educação de filhos e pais, alunos e professores,  ajudando na educação, na autoeducação, na melhoria das relações humanas, para uma vida mais promissora e feliz. Este blog será escrito e construído a muitas mãos, seja através do envio de mensagens e depoimentos dos leitores, seja pelo embasamento de autores e suas teorias que serão “costuradas” por mim na forma de textos vivos…

Me chamo Cristina Coronha, sou carioca de origem e, hoje, mineira por opção; mãe de dois filhos maravilhosos e esposa de um grande homem. Tenho em minha história de vida  muitas outras histórias, contadas e tecidas juntas, tenho um baú de recordações e realizações que representam uma bela e valiosa herança, que precisa ser dividido e contado, enriquecido e revisto para gerar estímulos e realizações da mesma natureza em quem ouve e compartilha.

O conteúdo continua após o anúncio

Sou imensamente grata. Sou eternamente aprendiz. Sou generosamente feliz.

Bem-vindos. Beijos.

Cristina Coronha Lima Vieira

Cristina Coronha

Cristina Coronha

Neuropsicopedagoga, Psicopedagogia (UFRJ), Especialista em Educação Infantil e Gestão Social (UFJF), graduada em Pedagoga (UFF). Professora dos cursos de pós-graduação em Psicopedagogia e Gestão Escolar. Psicopedagoga Clínica, Orientadora Vocacional e Educacional, Palestrante, Consultora Educacional para o Desenvolvimento de Valores e Talentos. Escritora de artigos em jornais e livros, Membro da Associação Brasileira de Psicopedagogia-ABPp,e e da Sociedade Brasileira de Neuropsicopedagogia. Criadora do projeto Articulação em escolas de Minas Gerais. Docente da Fundação Logosófica do Brasil. Professora convidada do Polo Interdisciplinar de Gerações da UFJF. Mediadora do PEI – Programa de Enriquecimento Instrumental pelo The International Center for the Enhancement of Learning Potential Israel.

Desenvolvido por Grupo Emedia