Substância presente no café pode reduzir o risco de diabetes

Por Alice Amaral

23/10/2017 às 15h59 - Atualizada 23/10/2017 às 15h59

Queridinho dos brasileiros, o café é a bebida mais consumida no mundo ocidental, depois da água. Considerado um alimento funcional, o café é rico em antioxidantes e minerais, além de auxiliar no fortalecimento da imunidade e no retardo do envelhecimento.

 

Uma das vertentes históricas afirma que o consumo do café pelos humanos começa a partir da observação dos efeitos nas cabras, que mastigavam os grãos e apresentavam comportamento mais agitado. Por isso, desde os primórdios, é conhecido como um estimulante.

 

Uma pesquisa da Harvard School of Public Health mostra que o café possui uma ação antidepressiva devido ao aumento da produção de neurotransmissores (serotonina, dopamina e noradrenalina). Além disso, conta com ação analgésica e termogênica, o que o torna um forte aliado na prática de exercícios e em programas de emagrecimento.

 

Outro estudo recente realizado na Dinamarca demonstra que o Cafestol (lipídeo que faz parte de uma classe de compostos químicos chamados Terpenoides), substância presente no café, pode retardar o aparecimento de Diabete Mellitus Tipo II, melhorando a função celular e a sensibilidade à insulina.

O conteúdo continua após o anúncio

 

Consequentemente, o cafestol pode contribuir para reduzir o risco de desenvolver Diabetes do tipo 2 em consumidores de café e é um bom candidato para o desenvolvimento de medicamentos para tratar ou prevenir a doença.

 

Sempre lembrando que:  o consumo potencialmente é benéfico, mas cada um deve saber dos limites e eventuais restrições. O café também é um bom pretexto para uma reunião social, pausa no trabalho e todos podemos tirar o melhor proveito.

 

Vamos tomar um café?

Alice Amaral

Alice Amaral

- Título de Especialista em Nutrologia – RQE 17.528 – Associação Médica Brasileira e Associação Brasileira de Nutrologia . - Título de Especialista em Medicina do Esporte – RQE 17.925 – Associação Médica Brasileira e Sociedade Brasileira de Medicina do Esporte . - Pós Graduação em Medicina Física e Reabilitação – Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro – R.J. - Formação Médica em 1983

Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia