Gordura abdominal: um sinal de alerta e de mudanças nos hábitos

Por Alice Amaral

06/10/2017 às 11h48 - Atualizada 06/10/2017 às 11h48

Vamos tratar de um assunto que afeta uma população considerável e que não vem recebendo a devida atenção. A gordura abdominal, no caso dos homens, já foi considerada sinal de boa condição financeira, inclusive com a expressão: “barriguinha da prosperidade”, porém nada mais equivocado.

 

Dentre as causas mais comuns para a gordura abdominal podemos citar maus hábitos alimentares, como: consumo de industrializados, embutidos, refrigerantes, farinhas refinadas ricas em carboidratos e açúcares, adoçantes; falta de sono; sedentarismo; estresse; problemas hormonais e também predisposição genética. O consumo de alguns medicamentos pode influenciar na obesidade.

 

Existem também variáveis relacionadas ao masculino e feminino.
As mulheres, durante e após a menopausa apresentam queda na produção de certos hormônios, o que pode contribuir para o acumulo de gordura. Além da questão estética, que incomoda muito as pessoas, é preciso considerar os potenciais danos à saúde. O excesso de gordura na região do abdômen aumenta o risco para doenças cardíacas, diabetes tipo 2, hipertensão e resistência à insulina.

 

Conhecer o próprio corpo, observar o crescimento da circunferência abdominal, reconsiderar a agenda, conseguir tempo para os exercícios físicos e outros cuidados com a saúde vão ajudar bastante. É preciso um diagnóstico para detectar a causa ou causas, o que demanda acompanhamento especializado. Tentar resolver o problema por conta própria pode acarretar em um agravamento da situação.

O conteúdo continua após o anúncio

 

Uma dieta ajustada vai proporcionar vários ganhos para as pessoas, sendo que o ideal é evitar que o problema apareça, ou seja, deve-se trabalhar na prevenção.

 

O consumo de determinados alimentos vão contribuir no tratamento, como: vegetais ricos em fibras, que ajudam a função intestinal e reduzem a absorção de glicose; alimentos ricos em ômega 3 (peixes marinhos de águas frias, azeite de oliva, linhaça, castanhas), pois apresenta ação anti-inflamatória, e também maçã, banana,  cerejas e tomate.

 

Portanto, se você está com uma circunferência abdominal considerável, procure um médico. Somente um especialista poderá ajuda-lo a emagrecer e equilibrar suas taxas de maneira saudável.

Alice Amaral

Alice Amaral

- Título de Especialista em Nutrologia – RQE 17.528 – Associação Médica Brasileira e Associação Brasileira de Nutrologia . - Título de Especialista em Medicina do Esporte – RQE 17.925 – Associação Médica Brasileira e Sociedade Brasileira de Medicina do Esporte . - Pós Graduação em Medicina Física e Reabilitação – Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro – R.J. - Formação Médica em 1983

Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia