Dicas de Iluminação – funcional e valor estético

Por Aletheia Westermann

29/10/2017 às 17h20 - Atualizada 29/10/2017 às 17h16

Mais do que clarear. Algumas dicas de iluminação são importantes para garantir sua funcionalidade e valor estético.

Dentro da Arquitetura de Interiores a iluminação é um dos recursos mais importantes. Além de cumprir sua função de iluminar para que possamos desenvolver nossas atividades também agrega valor estético na composição. Soma-se a isso, numa iluminação correta, efeitos ora para destacar, ora para criar um clima intimista.

Dicas de iluminação

É importante pensar na quantidade de luz realmente necessária a cada cômodo e, sobretudo estar de acordo com as atividades desenvolvidas no local. Tanto o excesso de luz quanto a sua falta causam desconforto. Há três maneiras de fontes de luz especialmente interessantes para uma boa iluminação: iluminação de trabalho, iluminação indireta e iluminação direta focada em determinados pontos. Com a combinação certa desses tipos da iluminação de interiores é possível um encontro perfeito entre a entre luz e espaço.

Para trabalhar as tarefas do dia a dia, como cozinhar, ler, estudar ou realizar qualquer outra atividade que precise de uma luz bem contrastada o ideal é um foco que proporcione uma iluminação que se concentre inteiramente na ação e que incida de forma direta sobre as superfícies. Para isso spots, luminárias de mesa, além das luminárias de piso, proporcionam esse conforto. Quando é direcionada, ilumina melhor os planos de trabalho (mesas, bancadas e balcões), tornando o uso da luz mais eficiente e mais econômica.

Iluminação indireta

Já a iluminação indireta é de baixo contraste e fornece uma luz muito suave e agradável, permitindo com que os olhos possam relaxar. Pode ser posicionada em detalhes no chão, no gesso ou no forro, nos móveis, dando ao espaço um ar bem intimista. Para se ter uma luz de fundo indireta, as lâmpadas embutidas, spots, arandelas e fitas de LEDs são os mais adequados, uma vez que elas iluminam uniformemente

Hoje, há diferentes tipos de lâmpadas que podem ser utilizadas juntas aos mais variados modelos de luminárias. Porém, as lâmpadas de LED causaram uma verdadeira revolução na indústria da iluminação e da decoração, sendo as mais utilizadas e populares atualmente. O LED impressiona com a sua durabilidade, eficiência energética e por emitir pouco calor. A principal desvantagem das lâmpadas de LED é que elas projetam uma luz mais fria e seu preço ainda é bastante elevado, especialmente em comparação com o preço de outras lâmpadas.

O conteúdo continua após o anúncio

 

Tendência

Ao contrário das últimas décadas, quando se utilizava pouco mais que um ponto de luz central no teto, a tendência atualmente é investir em abajures plafons; arandelas e pendentes, trazendo a luz como aliada da decoração. Assim pode se criar espaços de aconchego e bem estar atendendo a diferentes necessidades em de acordo com a ocasião.

 

Siga-nos do Facebook e Instagram

Aletheia Westermann

Aletheia Westermann

Arquiteta e urbanista formou na UFJF EM 2001. Desde então é Arquiteta diretora do escritório Alethéia Westermann Arquitetos. Entre vários trabalhos importantes trabalhou na restauração do Cine Theatro Central em JF, tem projetos desenvolvidos tanto em São Paulo e Rio de Janeiro como no exterior: Em Londres, UK e nos Estados Unidos, nos estados da Florida e Connecticut . É colunista da rádio CBN/JF no programa Morar Bem Arquitetura e Interiores, além de escrever semanalmente para o Jornal Tribuna de Minas no caderno Casa e Cia.

Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia