Highlights para 2018: Tendências que daqui a pouco estarão na sua casa

Por Aletheia Westermann

18/09/2017 às 21h10 - Atualizada 18/09/2017 às 21h10

Como nascem as tendências?

Em linhas gerais é quando um determinado comportamento leva a um outro como resposta. Diante disso, para 2018 a aposta continua sendo no Comfort Zone ou Zona de Conforto. Instabilidade no mundo, tempos de crise (de todos os tipos), trabalho em excesso, são sintomas da vida atual que levam as pessoas a buscar por segurança, conforto e relaxamento. Dito isso, linhas retas vão dando espaço para curvas e formas mais acolhedoras e os ambientes vão ao encontro do bem estar. Expressões com wellness e Hygge (como já tratamos aqui) tentam explicar nossa busca por práticas que façam bem para nosso dia a dia.

Não só o visual que conta, todos os sentidos são pautados no design e o tato é o mais importante nessa relação. O visual se une ao tátil para trazer uma experiência nova. Surgem tecidos que surpreendem com delicadeza ao apostarem em texturas e relevos. Já os tapetes, aliados ao retorno da valorização das técnicas manuais com a evolução da tecnologia têxtil, faz com que as tramas extrapolem a dimensão 2D para criarem peças com volumes, alturas e texturas diferentes.

O brilho iridescente, ou Furta Cor, surgem em materiais com tecnologias atuais como o plástico, o vidro e os metais oxidados, porém, com uma nuance mais artesanal e sem medo de brilhar.

Jardim Particular

O conceito de jardim particular trouxe o verde para dentro de casa e a tendência continuará forte no décor. Tanto que a cor eleita pela Pantone para 2017 foi o Greenery. Todavia o paisagismo contemporâneo pede um visual natural, com ervas e espécies vistas como mato. Flores e folhagens sugerem um resultado ora bucólico, ora selvagem e trivial. A graça é compor com recipientes cheios de charme e funcionalidade. Formatos, cores e espessuras diferentes podem resultar em um mix interessante.

Ah! o rosa

Rosa, rosa, rosa! Além de ser atual e cool, ela funciona muito bem com a paleta da vez: os tons terrosos. Surgiu em 2016, como Rose Quartz, em 2017, como o Millennial Pink e ainda com fôlego, pretende ultrapassar os limites do ano, chegando em 2018 como a cor favorita dos criativos. É fato que o amarelo, a cor mais solar do prisma, continua surgindo aqui e ali, mas o tom avermelhado ainda continua firme dando o tom.

O conteúdo continua após o anúncio

Outras tendências

Móveis e objetos feitos de vime e fibras naturais estão com tudo e são tendência absoluta na decoração, adicionando um bem vindo toque rústico a vários ambientes contemporâneos. Pontua-se esse retorno dos trançados vegetais tanto pela necessidade de se reconectar a natureza como pelo triunfo dos tons terrosos na moda e no décor.

Por fim, o veludo. Foi o revestimento favorito de sofás e poltronas da Maison&Objet de Paris 2017. Entretanto, ele ressurge descolado, em ambientes contemporâneos. O tecido que foi sinônimo de exagero por muito tempo voltou aos holofotes com seu toque macio e visual luxuoso.

Ouça mais sobre o assunto aqui.

Siga-nos no Instagram e Facebook.

Contato: [email protected]

Aletheia Westermann

Aletheia Westermann

Arquiteta e urbanista formou na UFJF EM 2001. Desde então é Arquiteta diretora do escritório Alethéia Westermann Arquitetos. Entre vários trabalhos importantes trabalhou na restauração do Cine Theatro Central em JF, tem projetos desenvolvidos tanto em São Paulo e Rio de Janeiro como no exterior: Em Londres, UK e nos Estados Unidos, nos estados da Florida e Connecticut . É colunista da rádio CBN/JF no programa Morar Bem Arquitetura e Interiores, além de escrever semanalmente para o Jornal Tribuna de Minas no caderno Casa e Cia.

Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia