Atitudes para ter uma casa realmente sustentável

Por Aletheia Westermann

08/10/2017 às 07h00 - Atualizada 10/10/2017 às 19h07

Ser sustentável. Mostrar aos filhos que podemos construir sem destruir o Planeta precisa ir além do discurso e mostrar na prática o que é sustentabilidade. E não basta munir seu lar apenas com lixeiras para reciclagem. O projeto precisa estar focado na sustentabilidade desde sua concepção. O resultado não só trará economia nas contas de luz e água, mas também aproximará, no dia-a-dia, a família às práticas sustentáveis.

Entorno

Recomenda-se que a residência se conecte ao máximo com o entorno, o que inclui desde construção distante de áreas de preservação, para evitar qualquer impacto negativo; orientação da fachada – que deve garantir altos índices de ventilação e luz natural; além de priorizar a proximidade com os transportes públicos e lojas de conveniência – o que diminui a necessidade de usar carros.

Consumo de água

Use apenas o tanto de água necessária para seu conforto e bem estar. Além de métodos de reutilização de água da chuva, por exemplo, é recomendado que se use equipamentos que prezam pela eficiência, como as descargas com duplo acionamento, ou chuveiros que misturam água com ar – garantindo o conforto, mas reduzindo os litros de água usados na casa.

Consumo de energia

A importância de projetar a casa para que ela seja energeticamente eficiente é devido ao fato que o uso de energia é um dos que mais impactam a atmosfera e as mudanças climáticas, sendo responsável por cerca de 60% das emissões globais totais de gases do efeito estufa. Portanto, pensar em projetos que diminuem a necessidade de lâmpadas, painéis solares para substituir aquecedores e ventilação adequada que dispensam ar condicionado são premissas de uma casa verde.

O conteúdo continua após o anúncio

Materiais

O uso de matérias primas certificadas, a qualidade da tinta e a emissão de gases de combustão são alguns exemplos de como utilizar materiais que deixarão sua casa em um ambiente ecologicamente amigável.

Jogar a responsabilidade para a próxima geração é, além de egoísmo, uma forma de fechar os olhos para um dos maiores problemas da contemporaneidade. Mude seus hábitos cotidianos em relação à água e energia, procurando observar onde e como reduzir o desperdício e principalmente evitá-lo.

Então, vamos nos adequar?

Siga-nos no Facebook e Instagram

Aletheia Westermann

Aletheia Westermann

Arquiteta e urbanista formou na UFJF EM 2001. Desde então é Arquiteta diretora do escritório Alethéia Westermann Arquitetos. Entre vários trabalhos importantes trabalhou na restauração do Cine Theatro Central em JF, tem projetos desenvolvidos tanto em São Paulo e Rio de Janeiro como no exterior: Em Londres, UK e nos Estados Unidos, nos estados da Florida e Connecticut . É colunista da rádio CBN/JF no programa Morar Bem Arquitetura e Interiores, além de escrever semanalmente para o Jornal Tribuna de Minas no caderno Casa e Cia.

Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia